Benchmarking: o que é e qual sua importância para as empresas?

Vendas B2B 23/03/2022
pesquisa-benchmarking

Atuar enquanto uma instituição é estar atento ao que está acontecendo ao seu redor. A movimentação do mercado e das demais empresas precisa sempre estar sendo acompanhada, tanto para observar para onde tudo está fluindo quanto para possuir parâmetros de comparação. Uma importante técnica de mercado que permite esse acompanhamento se chama benchmarking. E é sobre ela que vamos tratar no decorrer deste artigo. 

Para uma empresa crescer, ganhar forma é reconhecimento de mercado ela precisa, inevitavelmente, ter referências e objetivos. Entender onde quer ir e como chegar lá. As comparações entre organizações, quando feitas de maneira objetiva e assertiva, tendem a ser um importante meio para que gestores, diretores e empreendedores saibam para onde direcionar seus esforços. 

No mundo comercial, existe uma técnica chamada benchmarking, que trata justamente dessa comparação entre as ações e estratégias das empresas. Quer saber como essa técnica funciona, quais as vantagens e como aplicá-la? Segue com a gente, te contamos nas próximas linhas. 

O que é benchmarking?

O benchmarking, traduzido para português como ‘avaliação comparativa’, é uma estratégia que tem como objetivo aumentar a eficácia das ações de uma empresa, por meio da comparação do mercado. 

Ele ocorre por meio de pesquisas, onde são analisados produtos, serviços, campanhas e as demais práticas empresariais de cada instituição. 

Com ele, é possível observar como está a atuação do mercado, quais são as estratégias adotadas por cada organização, onde cada uma está acertando e errando, quais os resultados, qual sua autoridade no mercado e etc. Com essa pesquisa é possível também se referenciar, para saber quais caminhos seguir de acordo com o que está funcionando ou não para o seu nicho. 

Essa técnica também acaba por incentivar a competitividade entre as empresas, possibilitando, assim, que estas saiam de sua zona de conforto e tomem decisões maiores.

Os tipos de benchmarking

A execução da técnica é dividida em quatro formas, onde cada uma delas consiste no modo de comparação ou no tipo de empresa a ser comparada. 

Importante destacar que essa prática não consiste em copiar os processos de terceiros, mas obter mais informações e buscar novos métodos de execução e planejamento. 

Vejamos a seguir quais são as técnicas:

  • Benchmarking genérico

Essa forma de comparação usa empresas de modo geral, que podem não atuar na mesma área, mas possuem processos semelhantes. Usando indicadores de desempenho, o objetivo é encontrar as melhores práticas. 

É um dos mais adotados justamente por se tratar de uma análise ampla, onde empresas de qualquer nicho podem servir de comparação, desde que existam semelhanças nos processos de execução.

  • Benchmarking interno

No benchmarking interno, o objetivo é analisar justamente as práticas internas de uma empresa, a fim de encontrar as melhores práticas sistêmicas e organizacionais. 

Também é um dos mais executados, devido a sua facilidade na execução, tendo em vista que é realizado dentro da própria empresa e a única possível dificuldade seria o alinhamento entre os próprios setores. 

Para essas observações e pesquisas, são analisados principalmente indicadores de desempenhos – os KPIs – e as práticas de execução. 

  • Benchmarking competitivo

Esse método visa uma comparação externa, onde uma empresa vai em busca de informações sobre suas concorrentes diretas ou até mesmo indiretas no mercado. 

É um dos mais difíceis de serem realizados, justamente por se tratar de analisar uma concorrente e esta não facilitar o acesso às informações. 

Para sua execução, as organizações interessadas nas informações geralmente entram em contato com suas concorrentes como cliente oculto, consultoria ou outras técnicas. 

As pesquisas buscam acessar o funcionamento, as estratégias, os métodos, além das características de produção e oferta de produtos e serviços, a fim de absorver essas informações e, quando necessário, incorporar nas próprias atividades para alcançar seu concorrente no mercado.

  • Benchmarking funcional

Se assemelhando ao genérico, o benchmarking funcional também consiste em analisar empresas independente de serem de áreas semelhantes ou não. Geralmente ele visa uma atividade específica de sucesso dentro da empresa.

O interesse nesse caso é nas práticas de sucesso notadas na observante, a partir da observadora. É um dos mais simples de ser executado, já que não trata de organizações que atuam na mesma área, então não apresentam tantas dificuldades em compartilhar seus processos. 

 

Leia também os artigos:

Pós-venda: como fazer para fidelizar os seus clientes?

Objeções em vendas: dicas de como se antecipar e como contorná-las

Churn: o que é, como calcular e reduzir essa taxa

 

Quais as vantagens do benchmarking?

A comparação entre as empresas pode ser um importante impulsionador, servindo para que uma instituição observe as outras no mercado e adote novos métodos e práticas, por meio de insights que irão gerar novas ações que já se mostraram eficientes. 

E é justamente uma das mais relevantes fundamentações do método, aproveitar as ideias de processos que já se comprovaram eficientes, sendo estes adaptados para realidade da sua empresa. 

Quando uma empresa observa o mercado e suas técnicas, também acaba se voltando para a própria empresa e conseguindo analisar melhor o que realmente está gerando resultados positivos e o que não está. Conseguindo assim, verificar quais as falhas estão sendo executadas e quais são os gargalos no meio dos processos. 

Além disso, se inspirar em casos de sucesso só vai elevar ainda mais os resultados do seu negócio. 

Essa comparação vai colocar sua empresa em outro patamar, igualando com concorrentes que você admira, podendo até um dia ultrapassá-los. 

 Como executar o benchmarking na sua empresa?

Agora que você entendeu o que é, quais são os tipos e as vantagens da realização do benchmarking, vejamos algumas técnicas de como executar a estratégia dentro da sua empresa. 

  • Avaliação interna

Antes de tudo, você, seus gestores, diretores e todos os responsáveis pela análise de processos precisam se reunir e entender como anda a execução atual de tudo que vem sendo realizado. Informação interna é o princípio de tudo. 

Para buscar novos métodos é preciso primeiro estar ciente de como tudo está acontecendo e, com isso, visualizar o que pode ser melhorado.

Algumas vezes, a solução pode estar dentro da própria empresa, em setores próximos. Neste caso, a utilização do benchmarking interno já pode garantir melhorias internas. 

  1. Análise do concorrente 

Se durante a análise interna foi identificada a necessidade de observar práticas de outras empresas, sendo estas suas concorrentes de mercado, o passo seguinte é entender qual organização deve ser observada. 

Antes de ir em  busca das informações da empresa, você e sua equipe precisam se aprofundar para saber quais, de fato, são as mais relevantes no mercado. 

Quando o benchmarking de comparação externa – com outras empresas – é o escolhido, o ideal é ir em busca de pelo menos três organizações diferentes. Sendo elas, de preferência, as líderes de mercado. 

  • Saiba o que você está procurando 

Se você já realizou as etapas acima, nesse momento já deve estar ciente do que está procurando. E isso é fundamental para saber exatamente o que analisar. 

Não adianta só ir em busca de informações gerais das outras empresas, é preciso entender exatamente quais são os seus interesses e para onde direcionar sua atenção. Mesmo que nesse caso seja mais de um processo, é preciso estabelecer parâmetros.

Se apoie em dados, métricas e indicadores, para que as informações obtidas sejam o mais assertivas e organizadas possível.

  • Busque dados

No mercado não se sobrevive de achismos ou expectativas, o necessário para o sucesso na execução das ações é a riqueza de informações e dados. 

Quando você sai em busca de entender como outras empresas atuam, precisa se atentar a encontrar informações desse nível, respaldadas.

  • Faça comparações

Depois de obtidas as informações, organize-as de modo que você possa comparar tanto os processos quanto os resultados com o que vem sendo executado dentro da sua empresa. 

Essa comparação, tanto dos resultados quanto da forma de execução de cada ação e cada etapa, vai permitir que você entenda o que precisa ser modificado internamente, onde pode ser mexido e como você vai começar a fazer isso. 

Essas alterações todas vão gerar mudanças dentro da sua equipe e é necessário que todo seu corpo de colaboradores esteja ciente e disponível para isso. Por isso a adaptação pode ser feita de modo gradativo, onde cada novo método que você deseja implementar pode ir sendo testado aos poucos. 

  • Não esqueça dos pontos baixos

Embora o principal objetivo da comparação feita pelo benchmarking seja analisar os casos de sucesso a fim de adotá-los, é necessário também estar a par dos pontos negativos das instituições e setores pesquisados. 

Isso é importante para que você esteja ciente do que deve esperar das ações que vai começar a executar, ficando preparado para esses resultados, além de eventualidades. Inclusive, desse modo também é possível pensar nas soluções para esses problemas.

Conclusão

Ao final deste artigo acreditamos que você pôde absorver a importância do benchmarking e como executá-lo dentro da sua empresa. 

Adotar essa prática pode levar sua empresa para o nível daquelas organizações que você mais admira no mercado. As chances de você se abrir para novos horizontes e implementar técnicas de melhoria são altíssimas. 

É hora de colocar todas as dicas em prática, juntar sua equipe e visualizar qual dos tipos de benchmarking, ou até mais de um, funciona melhor para sua empresa.